Doenças oculares mais comuns na infância

Doenças oculares mais comuns na infância

Doenças oculares mais comuns na infância 1024 684 Num Piscar de Olhos

A frase “prevenir é melhor que remediar” é válida para todas as fases da nossa vida, em especial na infância. E quando o assunto são doenças oculares nas crianças, os pais devem ficar atentos aos sinais que podem indicar algum problema na visão dos pequenos, já que eles não conseguem expressar com clareza as dificuldades que têm na visão.

A visão alcança a maturidade por volta dos 5 anos de idade. Por isso, é importante que os problemas de visão sejam identificados e tratados o quanto antes, pois a prevenção faz toda a diferença nos resultados dos tratamentos.

No documento elaborado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), intitulado “As Condições da Saúde Ocular no Brasil 2019”, as doenças oculares que poderiam ser tratadas na infância são responsáveis por deixar mais de 250 mil crianças e jovens entre 5 e 15 anos com dificuldade de enxergar ou baixa visão. 

A seguir, listamos as principais doenças oculares na infância e aos sinais que os pais devem ficar atentos.

:: Retinopatia da Prematuridade

A Retinopatia da Prematuridade (ROP) é a principal causa de cegueira em recém-nascidos prematuros. É um distúrbio ocular que afeta a retina principalmente de crianças prematuras. A doença vai destruir a estrutura ocular, impossibilitando que a imagem seja captada pelo olho e levada até o cérebro. 

Em linhas gerais, na ROP os pequenos vasos sanguíneos no fundo dos olhos (retina) do bebê prematuro crescem de maneira anormal. Em casos mais graves, o crescimento rápido e atípico dos vasos pode causar o descolamento da retina e a perda de visão.

Atualmente, o diagnóstico da Retinopatia da Prematuridade é feito pelo mapeamento da retina, realizado por um oftalmologista especializado em ROP. Porém, essa técnica não é 100% segura, pois o médico não consegue enxergar através da retina do bebê.

Uma das tecnologias mais avançadas para o diagnóstico da ROP é Teste Digital do Olhinho, utilizando o aparelho de última geração chamado Retcam. O Retcam é um retinógrafo que permite avaliar 130° do globo ocular com imagens fotográficas de alta resolução, proporcionando diagnósticos precisos e precoces, auxiliando a detectar inúmeros possíveis problemas na visão dos bebês. O exame estará disponível nas principais maternidades de Curitiba e Região Metropolitana através do Projeto Juntos Pela Visão Infantil Paraná.

https://juntospelavisaoinfantilpr.com.br/

:: Retinoblastoma

O retinoblastoma é o tumor intraocular maligno que altera as células da retina, e é mais comum em crianças com menos de 5 anos. Pode ocorrer em um olho (unilateral) ou em ambos (bilateral). É o tumor ocular mais comum em crianças e uma das doenças oftalmológicas mais graves.

:: Miopia

Em linhas gerais, a miopia é a dificuldade em enxergar objetos de longe. Na miopia, o globo ocular fica mais “longo”, fazendo com que a imagem se forme antes que a luz chegue à retina. Na maioria dos casos, o problema é hereditário.

A miopia pode ser facilmente identificada no período escolar, quando a criança demonstra dificuldade em acompanhar o que está escrito na lousa, causando prejuízo ao rendimento escolar. A criança também começa a evitar brincadeiras que necessitam enxergar de longe. Outros sinais que podem deixar os pais atentos são: não reconhecer as pessoas de longe, ficar muito próximo à tela da TV e do celular para assistir a desenhos e esbarrar em objetos pela casa.

O tratamento da miopia para a criança pode ser por meio do uso de óculos e lentes de contato. A cirurgia é raramente indicada nesta fase.

:: Hipermetropia

Na hipermetropia, o olho é mais “curto”, com a imagem se formando depois da retina, ou seja, a criança não consegue enxergar bem de perto. Na maioria das vezes, a correção é com o uso de óculos.

Os sinais que podem deixar os pais atentos são: dificuldade em enxergar objetos de perto, tais como o caderno e o livro escolar, dificuldade na leitura, lacrimejamento nos olhos, dores de cabeça frequentes e visão cansada.

:: Estrabismo

O estrabismo – “olho torto”, vesgo – é quando um dos dois olhos ou ambos estão desviados, ou seja, quando eles apontam para direções diferentes O estrabismo pode ocorrer para dentro (esotropia) ou para fora (exotropia).

Até os seis meses de idade, o desalinhamento dos olhos é considerado normal, pois o bebê ainda não tem uma fixação boa das imagens na parte central da retina. Depois dessa idade, os pais devem ficar atentos e realizar exames de acuidade visual.

O estrabismo pode ser tratado com tampão, que ajuda a estimular a musculatura do olho mais fraco. Nas crianças mais velhas, a correção é feita com óculos. As cirurgias são indicadas apenas em casos específicos.

:: Catarata congênita

A catarata congênita também entra na lista das doenças mais comuns nas crianças. O principal sintoma é uma mancha esbranquiçada na pupila – em fotos tiradas com flash, a mancha se destaca.

Se pais ou outros membros da família têm catarata, as chances são maiores de a criança também desenvolver o problema.

:: Glaucoma

O glaucoma é o aumento dos níveis da pressão intraocular e uma das principais causas de cegueira na infância. Sua causa é hereditária, e normalmente está relacionada ao casamento entre familiares.

Os sintomas mais comuns que os pais devem ficar atentos é a intolerância da criança a ambientes com alta luminosidade, excesso de lacrimejamento, contração excessiva da musculatura ao redor dos olhos e modificação do brilho dos olhos.

    Join our Newsletter

    We'll send you newsletters with news, tips & tricks. No spams here.

      Contact Us

      We'll send you newsletters with news, tips & tricks. No spams here.